Por entre salinas e arrozais

O percurso, “Entre salinas e arrozais”, realiza-se em plena Reserva Natural do Estuário do Sado, em zonas relativamente planas onde a presença generalizada de campos de arroz e de algumas salinas, articulados num emaranhado de canais e muros, distribuídos ao longo das margens do rio Sado, potenciam um conjunto diversificado de habitats com grande interesse para a observação de aves, da flora e da paisagem.

Este percurso realiza-se em ambiente da maior tranquilidade, próprio de uma Reserva Natural, e permite-nos perceber a grande transformação económica verificada no Vale do Sado no último século, onde o sal e as salinas foram perdendo quase toda a sua expressão em detrimento da cultura do arroz.

Trata-se de um percurso circular susceptível de ser realizado em qualquer altura do ano, se bem que com épocas específicas mais interessantes tendo em conta a sazonalidade de algumas actividades ou ocorrências (presença de aves, extracção de sal, operações culturais do arroz, etc).

Locais de encontro – Posto de Turismo de Alcácer do Sal

Herdade da Batalha

Motivos de interesse – Observação de aves, da flora e da paisagem, canal de rega, salinas e sal, arrozais

Material recomendado

Água, máquina fotográfica, calçado e roupa adequados para caminhar no campo

Extensão – 7 Kms

Grau de dificuldade – baixa

Observações – binóculos, guias de aves, bolachas

As aves do Sado

Pelas margem de um rio

Este percurso, junto à margem sul do rio Sado, abrange uma das áreas de maior beleza, revelando-lhe alguns dos aspectos mais resguardados e mais ricos da Reserva Natural do Estuário do Sado, na sua transição entre o rio e o estuário, no plano natural e paisagístico.

Neste percurso poderemos apreciar riqueza da biodiversidade associada a alguns dos seus biótopos mais significativos nomeadamente, na zona entre marés, as lamas, as praias, os sapais, mas também as salinas, os arrozais, e as zonas de charneca ocupadas por floresta, bem como o seu património cultural e arqueológico da maior relevância nesta região.

A partir da aldeia do Possanco, em direcção à Carrasqueira e Murta num percurso linear com uma extensão de cerca de 10 Kms, em solos compactos e solos de areia (praia), sem desníveis significativos. Grau de dificuldade reduzido. Regresso assegurado ao local de partida.

Locais de encontro – Aldeia do Possanco (Café)

Motivos de interesse – Sítio arqueológico (Concheiros do Neolítico), Porto palafita da Carrasqueira, zona entre marés, observação de aves, da flora e da paisagem, canal de rega, sapais.

Material recomendado

Água, máquina fotográfica, calçado e roupa adequados para caminhar no campo

Grau de dificuldade – reduzido/moderado

Material recomendado para os percursos – água, calçado e roupa adequados

Serão postos à disposição dos participantes binóculos, guias de aves, fruta, café e bolos secos

As aves no Sado