os romanos no sadoA romanização da península Ibérica ocorreu a partir de 206 aC e progrediu desde o Mediterrâneo até ao interior e à costa Atlântica, tendo-se expandido a todo o actual território português e criando diversas cidades como Braga, Beja, Conimbriga, Chaves, etc.

As actividades económicas desenvolveram-se, sobretudo a agricultura, a pesca e a indústria (olaria, minas, tecelagem, conservação de alimentos), o que ajudou a desenvolver o comércio, suportado numa extensa rede viária (calçadas romanas) que ligaram os principais centros de todo o Império.

É como resultado de todo este processo que surgem ainda, por todo o lado, vestígios da presença dos romanos através de diversos tipos de testemunhos, como templos, mosaicos, estátuas, baixos-relevos, pinturas, fábricas, etc.

No estuário do Sado, existem muitíssimos vestígios da presença dos romanos e das suas diversas actividades, sendo os mais os significativos os de Tróia, Setúbal, Alcácer do Sal, Arrábida (Creiro), Viso, Abul e Pinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *